22 de agosto de 2017
Home

fev
18

Balanço de mandato de Prefeito: estou fazendo a coisa certa? – Parte 3

Use os nossos check-lists e faça um balanço de seu mandato de Prefeito, reforce as boas ações e corrija o que ainda não está dando certo.

 

Para manter boa aprovação popular, proponho seguir algumas balizas

 

Já que nenhum governo tem condições de agradar a todo mundo ao mesmo tempo, a quem devemos buscar satisfazer?

Sempre haverá aqueles cidadãos que lhe rejeitam incondicionalmente; aqueles que lhe apóiam incondicionalmente; e aqueles que, sem muitas paixões, aprovarão ou reprovarão o seu governo conforme as suas realizações. Ou seja, conforme julguem que você está fazendo coisas que melhoram a vida das pessoas e, em particular, a vida deles próprios.

A minha sugestão é que você foque a sua ação nesses dois últimos grupos de eleitores (é claro que você vai governar e trabalhar para toda a cidade, mas vai focar seu esforço maior, prioritariamente, em quem está aberto a examinar sem rejeições profundas as realizações de seu mandato).

Por que? Porque é mais fácil manter do que conquistar novos apoiadores. É mais fácil agradar um apoio antigo que transformar um opositor em apoiador.

(Nota: também será sua tarefa trabalhar para conquistar parte das pessoas que não lhe elegeram, pois entre elas estão muitas que não tem restrição, digamos, “ideológica” a você e podem ser conquistadas, desde que convencidas)

 

Que fazer? Algumas metas que o planejamento deve buscar

Quando você for pensar estrategicamente o mandato, avaliar o que foi feito até agora e planejar os próximos 30 meses, algumas coisas não podem ficar fora do seu radar. Entre elas estão:

Reafirmar o Comando do Prefeito – Pergunte-se: o meu poder está consolidado? A minha equipe me obedece? Os meus auxiliares sempre me consultam antes de tomar decisões estratégicas? Eu sou informado de todas as coisas (importantes) que acontecem no mandato? Você não precisa ser um ditador. Mas tem o dever (e o direito) de saber tudo o que de importante está acontecendo no seu mandato. Antes que seja tarde, ou seja: antes que os a maioria dos recursos – humanos, materiais, financeiros, políticos – sejam comprometidos com ações que não sejam aquelas que você considera prioritário.

Dar sentido estratégico ao Mandato – Como todos sabemos, Estratégia é o objetivo maior que você busca alcançar (“quero me reeleger e para isso preciso garantir o apoio da maioria dos eleitores dos bairros A, B e C”. Ou: “quero reduzir em 30% o número de crianças fora da escola”). E Tática, é o conjunto de ações que você fará para atingir a sua Estratégia (“para reduzir em 30% o número de crianças fora da escola eu preciso construir mais 10 escolas e contratar mais 50 professores”). Pois bem, qual(is) são a(s) Estratégia(s) do seu mandato? E que Tática(s) você usará para atingi-la(s)?

Definir as prioridades máximas do Mandato – Mandato de Prefeito que tem 50 prioridades, não tem nenhuma. Assim como mandato que tem 50 Marcas, não tem nenhuma. As Marcas do seu mandato sairão daquelas ações que você elegeu como sendo as prioritárias. E, normalmente, um bom mandato não consegue deixar impresso na cabeça das pessoas mais do que três ou quatro marcas; e isso, quando ele é muito bem avaliado (faça um exercício: Lula terminou os seus oito anos com uma excelente aprovação pública, beirando os 80%, a maior de todos os presidentes da redemocratização. De quantas marcas do mandato dele você se lembra?). Assim sendo, pergunte-se: quais são as ações prioritárias, das quais sairão as marcas do meu mandato? Minha sugestão é: elenque seis ou sete, não mais. Dessas, duas ou três vingarão (e isso já será um grande sucesso). E mais uma ou duas surgirão de outras áreas fora do seu radar.

Harmonizar e integrar as várias áreas de governo – Fácil falar, difícil fazer: o seu governo está trabalhando de forma matricial, ou seja, as várias áreas estão integradas em torno de eixos de ação? Por exemplo: a secretaria da Educação (que é um primo rico das outras pastas e tem muitos recursos carimbados) está auxiliando a secretaria do Bem Estar Social (ou seja lá qual o for o nome dessa pasta na sua cidade) a tratar do problema das crianças mais necessitadas? Trabalho matricial ajuda a reforçar áreas do governo que são mais fracas orçamentariamente e a poupar energias, tempo, gente e dinheiro.

Além disso, também está no quesito ‘harmonia e integração” não permitir que disputas entre secretários prejudique o desempenho do mandato. Uma das formas mais nefastas dessas disputas é na precoce guerra para saber: “quem vai ser o sucessor?”

Isso, quando ainda faltam 30 meses de mandato.

Definir a gestão estratégica das finanças municipais – As coisas acontecem onde o dinheiro é colocado. Em outras palavras: o dinheiro do Orçamento Municipal, que sempre é curto, tem que ser investido nas ações que você elencou como sendo prioridades do seu mandato.

Aliás, essa é uma das melhores formas de saber se o seu governo de fato está fazendo o que você definiu como sendo estratégico: o dinheiro do Orçamento está indo para essas ações? Ou elas estão secundarizadas no Orçamento? Ou ainda: o dinheiro está disperso em dezenas de ações consideradas de pouca importância?

Reafirmar o Compromisso Ético – Não conheço a sua cidade, mas afirmo sem medo de errar que as pessoas que lhe elegeram esperam de você uma postura ética no exercício do cargo (mesmo que elas não tenham votado pedindo isso). Ou seja, esperam que você trabalhe muito, seja honesto e transparente. Prefeitos que transmitem essa imagem ética tendem a  ganhar mais “votos de confiança” dos eleitores.

 

Nos próximos posts, detalharei os itens acima, que considero importantes para o sucesso do governo e a manutenção da maioria eleitoral. O detalhamento será dividido em três blocos:

A imagem do Prefeito enquanto Líder e Gestor

A visão estratégica do Mandato: para onde estamos indo?

O dia-a-dia do Mandato: como as coisas estão acontecendo?

 

Para ficar mais prático, o detalhamento será feito na forma de chek list das coisas que o governo não pode deixar acontecer e dos perigos a serem evitados, sob risco de comprometermos o futuro do mandato.

E você? Concorda com essa visão de mandato? O que mais você colocaria nessa primeira lista ?

Sobre o Justino Pereira


Jornalista, fez Mestrado em Marketing Político. Atua desde 1994 como Coordenador-Geral e de Comunicação e Marketing em campanhas para prefeito, vereador, deputado estadual e federal. Foi responsável por definir e implementar estratégias vencedoras em cerca de 30 campanhas. Também trabalhou como Gestor e Consultor nas áreas de Comunicação e Marketing e Planejamento Estratégico de Governo. Foi Coordenador-Geral de Publicidade da Capital paulista e secretário de Comunicação e de Governo de Guarulhos. É autor, junto com Elói Pietá, do livro-reportagem “Pavilhão 9 – O Massacre do Carandiru” (Editora Scritta).


Comente através do Facebook:



Fatal error: Uncaught Exception: 12: REST API is deprecated for versions v2.1 and higher (12) thrown in /var/www/html/campanhasemandatos.com.br/web/wp-content/plugins/seo-facebook-comments/facebook/base_facebook.php on line 1273